Login

Saiba o que é o “Sistema Multiportas de Justiça”

Esse sistema foi idealizado pelo professor de Direito da Universidade de Harvard, Frank Sander
sexta, 27 de julho de 2018

A conciliação, a mediação, a negociação e a arbitragem são conhecidas como soluções alternativas de conflitos e podem diminuir a sobrecarga que o Poder Judiciário enfrenta. Uma forma de ampliar a prestação de serviço jurisdicional é implantar o “Sistema Multiportas de Justiça”, ou seja, um método que direciona as ações que chega ao Judiciário para os meios de solução de conflitos mais adequados.

Esse sistema foi idealizado pelo professor de Direito da Universidade de Harvard, Frank Sander, e busca economizar tempo e dinheiro dos tribunais e das partes. “A finalidade do tribunal multiportas é dar celeridade na solução dos conflitos e resolver as controvérsias de acordo com a particularidade de cada disputa”, explica a coordenadora da Vamos Conciliar, Alessandra Maria. A conciliação e a mediação são procedimentos satisfatórios para as duas partes.

Para a coordenadora, o método é uma forma de modernizar o Judiciário tornando-o célere, eficiente, mais acessível e é também uma forma de estimular os métodos consensuais. “A sociedade precisa conhecer os procedimentos e mudar a postura beligerante. O sistema multiportas é uma ótima opção para atender as demandas do Judiciário e ao mesmo tempo incentivar a população para que saiba utilizar os procedimentos”, diz Alessandra.

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) realiza audiências de mediação e conciliação, procedimentos utilizados no “Tribunal Multiportas”, o resultado é satisfatório. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça, no ano passado foram realizadas mais de 250 mil sessões de conciliação em São Paulo, metade delas terminou em acordo. O Brasil possui mais 250 unidades do Cejuscs em funcionamento e mais de 3 mil conciliadores atuando na área. “O Cejusc é um excelente exemplo de como o sistema multiportas é uma medida boa e eficiente para o Judiciário. O índice de acordos só aumenta a cada ano, estamos avançando”, comemora.

De acordo com Alessandra, o advogado tem um papel fundamental na mudança de cultura e no processo de modernização da Justiça. “Estamos caminhando para uma nova realidade e o advogado precisa acompanhar essas mudanças, adquirindo e/ou aprimorando uma postura resolutiva. O advogado que conseguir abrir todas as portas, permitindo ser alcançado pela cultura da pacificação social, conhecendo melhor todos os procedimentos, saberá reconhecer com mais facilidade os interesses dos seus clientes, viabilizando mais de uma forma para a resolução dos conflitos”, finaliza. 

comentários

Fale Conosco

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas sobre a conciliação.
Atendimento em horário comercial.