Login

Inclusão dos métodos consensuais na base curricular do curso de Direito foram debatidos em evento na OAB-DF

Os novos caminhos da mediação, os desafios das câmaras privadas e o papel do advogado nesse mercado também foram abordados durante o congresso
terça, 16 de outubro de 2018

A inclusão dos métodos alternativos de conflitos na base curricular dos estudantes de Direito foi um dos temas abordados no III Congresso de Mediação, promovido pela Comissão Especial de Mediação da OAB-DF, na última terça-feira. “As escolas e as comunidades já estão trabalhando com a mediação, é necessário reformular a base curricular do curso de Direito, as universidades precisam acompanhar essa evolução”, afirmou a juíza do Trabalho da 10ª Região, Roberta Carvalho.

A juíza também defendeu o uso do sistema “pluriprocessual”. “É necessário enxergar qual método é mais adequado para o conflito que chega ao judiciário”, explicou. A professora, advogada e mediadora, Eliane Scheidt, também apoiou a inclusão dos métodos consensuais na grade dos cursos. “Os alunos que estão na faculdade não estão preparados para a mediação, não temos evolução no ensino universitário. Ainda temos muitos estudantes aprendendo que advogado bom é aquele que briga pelo cliente”, lamentou.

Além disso, Eliane levantou alguns questionamentos sobre o tema: O que queremos na mediação? Será que queremos apenas uma disciplina? Vamos falar apenas da mediação judicial ou haverá espaço para a extrajudicial também? “Continuamos a debater a mediação como na década de 80. Temos que mudar e partir para a ação”, concluiu.

A advogada e mediadora, Sandra Montenegro, apresentou uma proposta para alunos vivenciarem a prática da solução amigável de conflito: a simulação de casos. “Na simulação você treina o advogado para administrar o conflito em um ambiente seguro e aprender a oratória. Além disso, ele têm uma oportunidade de crescimento com a leitura e pesquisa”, explicou.

Os novos caminhos da mediação, os desafios das câmaras privadas e o papel do advogado nesse mercado foram abordados por outros palestrantes. De acordo com Claudia Beatriz Duranti, advogada, mediadora e árbitra, um grande desafio para as câmaras privadas de mediação e arbitragem é trabalhar com o “novo”. “Mesmo com tantos benefícios a mediação não é tão utilizada no Brasil, os estudantes não são preparados para fazer acordos e o procedimento é relativamente novo”, disse.

Para o presidente da comissão, Décio Guimarães, a mediação é uma alternativa de solucionar litígios sem recorrer ao Judiciário e que é necessário promover debates. “Eventos como esse trazem um novo alento, uma nova face à medição”, disse o presidente durante a abertura do evento.

“Gerar conhecimento em mediação investindo em cursos, pesquisas e palestras são fundamentais para que haja uma mudança de cultura. O judiciário não pode ser a única via de acesso para solucionar um conflito, mas para isso é necessário que as pessoas conheçam as ferramentas que estão disponíveis”, explicou a diretora da Vamos Conciliar, Mirian Queiroz.

A diretora também chamou a atenção para reciclagem de quem atua na área. “Os profissionais que trabalham mediando um conflito devem possuir um olhar apurado e saber administrar a intensidade das emoções. Para tanto, é necessário investir em conhecimento e troca de experiências para aperfeiçoar as habilidades. Isso também é válido para a nova geração de advogados que pretendem atuar nesse campo. Acho de extrema importância o trabalho da OAB-DF em fomentar o uso dos métodos consensuais e permitir o intercâmbio de informações”, concluiu Mirian.

Foram apresentados cincos painéis durante o evento: Novos Passos da Mediação, Caminhos, Temas Empolgantes, Importância do Ensino dos Métodos Adequados de Tratamento de Conflitos nas Universidades e Novidades do Mercado. Também palestraram no seminário: Adolfo Braga Netto, presidente do Conselho de Administração do Instituto de Mediação e Arbitragem do Brasil (IMAB); Raildy Martins, advogada e mediadora; Mirtala Delmondes, advogada, mediadora e juíza de paz; José Luís Albrecht, Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados e Master Coach e outros profissionais renomados da área.

comentários

Fale Conosco

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas sobre a conciliação.
Atendimento em horário comercial.