Login

É preciso colocar fim à cultura do litígio, afirma especialista

Conflitos entre vizinhos, questões trabalhistas, definição de pensão alimentícia e casos que envolvam o direito do consumidor podem ser solucionados por meio da conciliação e mediação
quarta, 16 de maio de 2018

Os grandes números de causas e a alta taxa de congestionamento na Justiça já foram divulgados em vários veículos de comunicação e debatidos em grandes eventos. A mudança no Código de Processo Civil, em 2015, foi um passo importante no Judiciário brasileiro. Conciliação e mediação passaram a ser obrigatórias antes de ingressar na Justiça com o intuito de reduzir o número de processos.  

Para a diretora da Vamos Conciliar, Perla Rocha, o Judiciário cumpriu a sua parte e apresentou à sociedade uma ferramenta moderna, simples e econômica. “Percebo um grande esforço de magistrados para instaurar a cultura de pacificação, mas a sociedade ainda tem uma postura beligerante e acreditam que apenas na Justiça conseguirão resolver uma controvérsia”, explica.

Os métodos autocompositivos podem ser utilizados em diversas áreas: conflitos entre vizinhos, questões trabalhistas, definição de pensão alimentícia e casos que envolvam o direito do consumidor. Uma grande aliada dos métodos consensuais é a tecnologia, hoje, o cidadão pode realizar um acordo extrajudicial sem sair de casa, utilizando um computador ou celular com acesso à internet.

“O procedimento possui inúmeros benefícios, é rápido, econômico, sem burocracia e possui uma tecnologia incrível. Temos estrutura e grandes entusiastas na área de mediação, acredito que falta conscientização da população. Temos ferramentas incríveis que infelizmente não estão sendo utilizadas pela sociedade e o resultado disso é o sistema judiciário congestionado.  É preciso colocar fim à cultura do litígio”, alerta Perla.

Vamos Conciliar

Interativa e intuitiva, a plataforma on-line da Vamos Conciliar é muito simples. Para usar o serviço, basta que as partes tenham um computador ou um smartphone e acessem o site.

Tudo começa no link "Iniciar conciliação", no qual o cliente ou a empresa explicam a demanda que pretendem resolver. Depois, é necessário preencher os dados que serão encaminhados a um conciliador. Em seguida, será iniciado um diálogo via chat, oportunidade em que o cliente irá expor suas questões e seus interesses. O conciliador, então, auxiliará as partes na construção do acordo.

Se as partes chegarem a um consenso durante o chat, será emitida uma declaração de acordo. Caso contrário, o sistema disponibilizará um documento sobre o não acordo. Também é possível acompanhar o andamento da conciliação.

comentários

Fale Conosco

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas sobre a conciliação.
Atendimento em horário comercial.